A VERDADEIRA LUZ: Nele (o Senhor Jesus) estava a vida, e a vida era a luz dos homens; a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. Pois a verdadeira luz, que ilumina a todo homem, estava chegando ao mundo e o mundo não o conheceu. João 1:4,9,10

A BOA SEMENTE E O JOIO: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeou boa semente no seu campo; mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. Mateus 13:24.25

domingo, 17 de março de 2013

Como te amo

Escrito e postado por Jean-Louis
 

Eu te amo de um amor inteiro
Com doce paixão
pura e verdadeira
Sem fios de Polichinelo.

Um amor abrigo de arco iridescente
Farol mágico de luminosidade
Caleidoscópica bordada
De sombras enganosas,
De brumas indecisas
Irmãs maiores invejosas
Alimentando seu aborrecimento
Com nossas apalpadelas,
Nossos tartamudeios hesitantes
Reafirmando nossa resolucão
sem condição.

O meio ambiente branco e negro
De dia e noite, um amor florido
De suspiros vestidos de silencios
Música misturada de nuvens e barro
Partilhados, temperados
Na medida do imposível
Acabando num sonho
Sem límites, sem normas,
nem convenções. 

  
Entre nós a atração reina
Como você, amante, com seu olhar tão suave.
Seu cautivo voluntario guarda
Um equilibrio precário sem poder liberar-se
Do encanto poderoso de sua graça,
Ainda sem querer, mas esperando
Tropeçar em seus braços, perto de seu coração
Berço e fonte de vida nunca sonhada.
 
Ai, onde se pode esquecer tudo
Ao momento propício
De comunhão deliciosa
De nossas almas sossegadas,
Mergulhando num abismo insondável
Redemoinho de doce agitação
Conquistada pela fé e uma confiança segura.


A tempestade impotente
Frente à palavra indomitável
Levada sobre as asas de uma brisa carinhosa
Provoca o amanhecer de anelos do tempo passado
A sonhar até o chamado imperceptível
De uma pulsação alternando
Com o eco de um pestanejo
De pálpebras cúmplices.
 
Revela-se o misterio
Desde muito tempo restringido
Por laços frágeis
Os quais ainda tão fortes desatam-se
Embaixo do jugo libre do amor compartilhado
Com uma noite de estreia e o compasso baseado
Entre o fluxo e o refluxo de uma onda
Escolhida por acaso, um dia cheio do amor
De uma menina inocente
Numa praia de testemunhas mudas.
 
Ela seguiu com uma olhada
Lânguida de esperança
O vôo do balão saindo
Sobre as asas de um anjo invisível
Até um porto desconhecido,
Enseada de paz até o momento virtual,
Vestido de dia da sua virtude,
Descortinando-se de noite
Para revelar a beleza
Do seu coração nobre
Riqueza intocável de gema sublime.


Era um território virgem, ainda entregado,
Percorrido por meus pasos
Flutuando sobre o alento das palavras
Escapando dos seus olhos, guias prudentes
Indicando a senda, jamais antes seguida,
O caminho da plenitude, aliança de ternura
De felicidade e de alegria
Enlace bendito e completo
De amor humano e de amor divino.

Jean-Louis.

Comentarios previos:


Manifesto Interno said...
Jean-Louis,

Dificilmente conseguiremos achar um poema mais lindo do que este,
flui como um rio calmo a seguir seu curso,
uma composição poética livre de metrificações e similares,
nos transporta para o que transcede,
a musicalidade é quase ouvida,
imposta por um ritmo próprio e adequado,
um poema lírico de grande valor,
uma Ode valorizando o que o amor tem de melhor,

estou en-cantada!
June 12, 2010 at 9:06 PM

  Mírian Mondon said...
Tao lindo!
Essa efervescencia sua suave que só conheci em voce... essa profundidade inconfundivel que eu é reconhecivel a milhares de kilometros...
Obrigada por me amar de forma tão bela, de amar com sua vida e não apenas com as mais lindas palavras.
Privilegio é ter um marido poeta, que escreve tao lindamente quanto vive!
Amo voce cheri, Feliz dia dos namorados!
bisous
June 12, 2010 at 11:31 PM

Nenhum comentário:

Postar um comentário